Idioma: Português
5f6246de0dc04c0195ee0af94d64f7c0

Tendo um bebê e mantendo-o saudável

Mundialmente, aproximadamente 800 mulheres morrem a cada dia durante o parto.

Toda mulher grávida espera por uma gravidez segura, sem complicações e por um bebê saudável. A saúde precária da mãe, inclusive com doenças que não foram adequadamente tratadas antes e durante a gravidez é frequentemente um fator que põe em risco a saúde da gestante, contribui com a morte materna e de recém-nascidos ou com o nascimento de bebês prematuros ou com baixo peso, o que pode trazer futuras complicações.

Fatos para um parto seguro

  1. Meninas que receberam educação e uma dieta saudável durante a infância e adolescência provavelmente terão bebês saudáveis e terão uma gestação e parto seguros se a maternidade ocorrer após os 20 anos de idade.

  2. Os riscos associados à maternidade para a mãe e seu bebê podem ser amplamente reduzidos se uma mulher for saudável, estiver bem nutrida antes de engravidar, e fizer o pré- natal de qualidade. Durante a gravidez e o período de amamentação, todas as mulheres precisam de refeições mais saudáveis, e em quantidade adequada, mais descanso do que o habitual, suplementos com vários micronutrientes ou com ferro e ácido fólico, mesmo se estiverem consumindo alimentos fortificados, além de sal iodado para garantir o desenvolvimento mental apropriado de seus bebês.

  3. Toda gravidez requer atenção especial. Todas as mulheres grávidas precisam de, pelo menos, sete visitas ao atendimento pré-natal para garantir uma gravidez segura e saudável. Mulheres grávidas e suas famílias devem ter informações sobre seus direitos e estar aptas a reconhecer os sintomas do trabalho de parto e os sinais que indicam complicações na gravidez. O SUS deve garantir as consultas de pré-natal, assistência ao parto, e ao recém nascido

  4. O parto é o momento mais esperado pela mãe e pela família. Toda mulher grávida deve ser assistida por uma pessoa qualificada, como uma parteira, médico ou enfermeiro, durante o parto, e ela também deve ter acesso oportuno ao cuidado especializado se ocorrerem complicações. Toda mulher também tem direito a um acompanhante de sua preferência durante o trabalho de parto e pós-parto.

  5. Cuidado pós-natal para a mãe e a criança reduz o risco de complicações e apoia mães, pais e outros responsáveis para ajudar seu recém-nascido a ter um início de vida saudável. A mãe e a criança devem ser examinadas e avaliadas durante as primeiras 24 horas após o parto. Na alta, a mãe deve ser orientada a levar o bebê para consulta em uma unidade de saúde entre o quinto e o sétimo dia de vida. Também é muito importante que a mulher seja acompanhada no pós-parto para evitar e tratar adequadamente infecções e hemorragias. O bebê deve comparecer à unidade de saúde com regularidade no primeiro ano de vida para acompanhamento do crescimento e desenvolvimento, além de receber todas as vacinas.

  6. Uma mãe saudável, um parto seguro, atenção e cuidados são essenciais para o recém-nascido. Uma família protetora e um ambiente limpo e seguro contribuem consideravelmente para a saúde e a sobrevivência do recém-nascido.

  7. Fumo, álcool, drogas, venenos e poluentes são particularmente nocivos para as mulheres grávidas, o feto em desenvolvimento, bebês e crianças pequenas.

  8. Violência contra a mulher é um grave problema de saúde pública em muitas comunidades. Quando uma mulher está grávida, a violência é ainda mais prejudicial para a mulher e também aumenta o risco para o bebê, podendo provocar aborto, parto prematuro e baixo peso ao nascer.

  9. No local de trabalho, mulheres grávidas e mães devem ser protegidas da discriminação e da exposição a riscos para a saúde, além de receberem tempo livre para amamentar ou retirar o leite materno. Devem ter direito à licença maternidade e proteção ao emprego

  10. Toda mulher tem direito a atenção à de qualidade, especialmente uma mulher grávida ou puérpera. Profissionais da saúde devem ser tecnicamente competentes e sensíveis às práticas culturais, e devem tratar todas as mulheres e meninas adolescentes com respeito.

The Internet of Good Things